Author : Velasco Eduardo
Title : Esparta e sua Lei
Year : 2012

Link download : Velasco_Eduardo_-_Esparta_e_sua_Lei.zip

Capítulo 1 – Introdução. “Se um ariano europeu, em nossa época, não mostra mais que desprezo pelos valores “cristãos e democráticos” do Ocidente, e deseja uma sociedade inspirada na Esparta antiga, é de prever que, se é de espírito combativo, seja adicto à fé hitlerista”. (Savitri Devi, “Memórias e Reflexões de uma Ariana”, Capítulo 1). Esparta foi à primeira reação massiva contra a degradação da Idade de Ferro, e como tal, veio marcada com um selo sombrio do quais muitos aprenderam. Todas as tradições militares de elite são herdeiras do que levou a cabo em Esparta, e isso nos assinala a importância da missão espartana. O historiador e sacerdote de Apolo no santuário de Delfos, Plutarco (46 EC-125 EC), em suas obras “Antigos Costumes dos Espartanos” e “Vida de Licurgo” nos dá valiosa informação acerca da vida espartana e sobre as leis espartanas, e muito do que hoje sabemos acerca dos espartanos é graças a ele. Xenofonte (430 AEC-334 AEC), historiador e filósofo que mandou seus filhos para que fossem educados em Esparta, é outra boa fonte de informação, em seu escrito “Constituição dos Lacedemônios”. Platão (427 AEC-347 AEC), em sua conhecida obra “A República” nos mostra seu conceito de como há de estar regido um Estado superior, enumerando muitas das medidas que parecem diretamente tiradas de Esparta, pois nela se inspirou. Hoje em dia nossos doutrinadores do Sistema ensinam vagamente que Esparta era um Estado militarista e brutal voltado completamente para o poder, e cujo sistema de educação e treinamento era muito duro. Apresentam-nos aos espartanos, de maneira geral, como soldados eficientes, toscos e acéfalos, aos quais “só interessava a guerra”. Dita imagem é um reflexo deliberadamente distorcido do que realmente foram, e que se deve principalmente ao que nos contaram alguns atenienses decadentes, endereçados com a má fé dos que ostentam o poder, que pretendem tergiversar a História para servir a seus interesses. Os espartanos deixaram uma pegada espiritual indelével. O simples fato de que ainda hoje em dia o adjetivo “espartano” designe qualidades de dureza, severidade, resistência, estoicismo e disciplina, nos dá uma ideia do enorme papel que cumpriu Esparta. ...